Entenda Handover

De acordo com [Vanni, 2009], “handover ou handoff é o processo de troca de ponto de acesso conectado ao núcleo da rede, ao qual o dispositivo está associado para enviar e receber dados pela rede de comunicação”.

O procedimento de handover pode ser assistido pelo terminal móvel ou pela rede. No primeiro caso, o terminal móvel inicia o processo de handover através de um Link_Detected (Link_Detectado), por exemplo. Com isso, o terminal solicita informações das redes detectadas para dar continuidade à troca de rede. No segundo caso, a rede em que o terminal móvel está conectado pode iniciar o processo de handover trocando informações entre a rede atual e a rede candidata até finalizar o handover.

A classificação do handover depende das perspectivas e das abordagens pelas quais serão analisados os aspectos de mobilidade, sendo as distinções mais comuns as que se dão pelo escopo, área de cobertura, características de desempenho, transições de estado, tipos de mobilidade e modos de controle do handover [Vanni, 2009].

Devido às diversas possibilidades de ocorrência de um handover, este pode ser classificado de acordo com a perspectiva de heterogeneidade tecnológica possível [Manner et al., 2004] em:
Handover horizontal ou intra-system handover, que ocorrem quando um terminal móvel (MT) desloca-se entre pontos de acesso (AP) ou estações bases (BS) de uma mesma tecnologia de rede;
Handover vertical, quando o AP ou BS pertencem a diferentes tecnologias de redes (por exemplo, IEEE 802.11 (WiFi) e UMTS (3G)).

Conforme [Manner et al., 2004] há possibilidade de ocorrer o processo denominado hard handover durante o handover. Significa quebra de conexão ao terminal móvel durante o handover quando da mudança de BS. Pode haver quebra de comunicação e perdas de pacotes no momento da troca de BS, quando não se consegue associar a uma nova BS antes da interrupção da conexão com a BS atual.

O ideal é alcançar um handover onde a troca de BS seja transparente ao cliente, onde não ocorram os problemas citados anteriormente. É o que se denomina de seamless handover. 

Assim, o que se busca é a antecipação do handover, baseando-se a arquitetura numa suposição que o antecipe, possibilitando ao terminal móvel permanecer conectado com a BS atual até que esteja estabelecida a conexão com a nova BS. Tal antecipação é possível pela detecção feita pela BS de que o terminal móvel está se aproximando dos limites da BS atual, cujos sinais podem ser a degradação na qualidade do sinal ou a classe de mobilidade do terminal móvel.

REFERÊNCIAS

[Manner et al., 2004]
Manner, J; Kojo, M; Suihko, T; Eardley, P; Wisely, D., Learning in user-centric IPTV services selection in heterogeneous wireless networks. RFC 3753, June.

[Vanni, 2009]
Vanni, Renata Maria Porto. Integração de serviços em ambientes heterogêneos: uso de semântica para comunicação entre entidades em mudanças de contexto. Tese apresentada ao Instituto de Ciências Matemáticas e Computação da USP. USP-São Carlos, agosto de 2009 Disponível em http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/55/55134/tde-25012010-115143/